Folha

FORMAÇÃO

Bacharel em Artes Visuais (UFPel)
Mestre em Artes Visuais (UFPel)

EXPOSIÇÕES+

EVENTOS

• 3ª Mostra Anual de Desenho de Humor da UFPel (2013).
• 4ª Mostra Anual de Desenho de Humor da UFPel (2014).
• 1ª Mostra de cerâmica Contemporânea de Pelotas (2017).
• Brincar Outra Vez (2017).
• ELOS (2017).
• 16º Projeto Armazém no MASC - o mundo como armazém (2018).
• Como resistir no mundo de hoje? (2018).
• FRESTA - Mostra Audiovisual (2018).
• II Deslocc - As Paisagens Cotidianas - Descansar e Resistir (2018).
• Tempos de Resistência (2018).
• Triquetra (2018).
• Mostra de arte - Tsé-Tsé (2019).
• Faíscas - Memórias (2020).
• Mostra tua arte (2020).

OUTRAS

EXPERIÊNCIAS

Trabalhos coletivos:

• Era uma vez. Participação na criação de mural. 2014.
• Soprar. Participação junto ao grupo de Pesquisa Lugares Livros. 2018.
• Viver no Porto e ter um Porto em sua vida. Livro de artista produzido pelo grupo de pesquisa Photographein. 2018.
• Produção da série Posse, exposta na XII MOCITEC • Mostra de Ciências e Tecnologias. Trabalho junto a Ítalo Franco. 2018.
Livro de artista Próxima Página, organizado pelo grupo de pesquisa Lugares Livros. Produção de trabalho junto a Ítalo Franco. 2018

Participação em feiras:

• 16º Projeto Armazém no MASC - o mundo como armazém. 2018.
• 3ª Feira das Artes (UFPel). 2019.
• Feira Gráfica ReTina. 2019.
• 1ª Feira Gráfica - Engasga Gato. 2019.

Participação em produções de livros:

• Magliani - menina, mulher, artista. Storyboard. 2016.
• Seli - a praça da paz. Cenário. 2017.
• Arlinda Nunes. Arte final. 2018.
• Inah Costa - marinhas poéticas. Arte final. 2019.

Produção de cartazes:

• 4ª Mostra Anual de Desenho de Humor da UFPel. 2014.
• ELOS. 2017.
• Mostra de arte - Tsé-Tsé. 2019.
• CONTATO - 1ª Exposição Internacional de Arte Postal. 2020.
• CORPO, um lugar, um corpo, LUGAR. 2020.

Folha

desenho, colorização digital, edição e manipulação de imagem, adesivo

Matheus Folha é artista visual, Bacharel e Mestre em Artes Visuais. O desenho está como ponto de partida de sua produção, e o expande para outras possibilidades provocativas, trazendo a linha como brinquedo, memória e ficção. O processo de criação parte do que esteve ao seu redor, brinquedos, a casa de sua infância, animações, filmes, livros, histórias em quadrinhos, utilizando-os como ponto de partida para os desenhos. Seu trabalho se iniciou a partir de dois conjuntos, as Coisas e os Aliquids, pensados para instigar o imaginário do visitante e possibilitar novas narrativas, apresentando em sua composição imagens e títulos de interpretação aberta, tendo diferentes níveis interpretativos que insinuam possibilidades sobre o que está sendo visto. Assim projeta imagens que pedem ao visitante uma conversa com seu imaginário, o trabalho é completado pelo outro e assim ele se transforma cada vez que é visto por outro olhar. A linha e suas diversas composições se mostram como uma potencialidade para lidar com a imagem provocando a percepção do visitante, instaurando devaneio e contemplação na contramão do contexto acelerado da sociedade contemporânea.

Branco.png
Aliquid 14
Branco.png
Mandrágora I
Branco.png
Céu de Tecido de Planta
Branco.png
Mandrágora II
Branco.png
Aliquid 17
Branco.png
Aliquid 22
Branco.png
Chorume do Lǎcināris II
Branco.png
Aliquid 24
Branco.png
Chorume do Lǎcināris III